Mergulhando na Graça



Incrível como Deus fala conosco nas pequenas coisas da vida. Estava assistindo uma comédia aparentemente “non sense” e que me trouxe uma grande reflexão, que quero compartilhar com vocês.

Nesta manhã assisti no Telecine o filme “Você de Novo” , que eu já tinha assistido há um tempo atrás. O filme conta a história de uma moça que sofreu com sua aparência na adolescência durante o ensino médio, e um tempo depois ela dá a volta por cima: está bonita e é bem sucedida em seu emprego. Mas ela descobre que seu irmão vai se casar justo com a menina mais popular da escola, antiga líder de torcida e que atormentava a sua vida na escola. Diante desse fato, velhos traumas voltam à tona, e as situações até que envolvem a outra geração, mãe de uma, tia da outra, revelam inveja e muita amargura dentro daqueles corações.


Acho uma história muito engraçada, mas ao mesmo tempo triste, pois acontece com todos nós. Em algum momento do filme, alguém diz: “Ninguém sai ileso do colegial”. Na verdade, ninguém passa ileso pela infância e adolescência. A escola, especialmente, costuma ser um lugar criador de traumas e feridas. Todos trazemos nossas “perebas”, como diz minha amiga Helena Tannure. Às vezes podemos carregar inveja por anos (como no filme), e isso nos corrói por dentro.

Não temos nossa identidade completamente afirmada. Tudo que sabemos é competir, queremos provar coisas para o mundo o tempo todo, nos mostrarmos melhor do que todo o resto das pessoas, provar que temos algum valor e mérito, ao invés de sermos livres para sermos quem Deus nos criou para ser e confiarmos no seu amor.

Tenho buscado em Deus a cura. Cura das emoções, cura dos sentimentos, cura das lembranças, para ser uma pessoa melhor e um instrumento mais disponível para o Reino. É tempo de tirarmos as máscaras. Tenho aprendido que quem usa máscara, não pode mergulhar na graça.


O mergulho no oceano da graça exige que você esteja completamente despido. Despido de quem você quer que os outros acreditem que você é. Despido de uma fantasia que você criou para você e para os outros. Despido da ilusão de que merecemos a graça de Deus porque oramos demais, jejuamos demais, lemos a Bíblia demais.


Nem que fizessemos isso 24 horas por dia, 7 dias por semana, seríamos merecedores da graça que nos alcançou.

No mergulho da graça, tem que estar você, completamente “nu”, e a Trindade. E neste mergulho, aprendemos a confiar no amor de Deus, tão forte, tão profundo, tão restaurador. Quando reconhecemos nossa incapacidade de viver a vida de Deus em nossas próprias forças, quando reconhecemos nossa limitação e nossa total dependência de Deus, Ele estende Sua mão, e como o Pai do Filho pródigo, Ele nos dá novas vestes, nos coloca novas sandálias nos pés cansados e um anel no dedo, como sinal de honra.


Quero me vestir não com ilusão, mas com a roupa que o Pai preparou para mim. Minha oração é para que eu mergulhe cada dia mais neste amor imensurável. Nestes dias tenho lido um livro chamado “O Amor Furioso de Deus”, do renomado autor Brennan Manning. E ele diz que encontrou cura pra sua vida ao proferir, vez após vez, essa singela declaração: “Aba (paizinho), eu pertenço a Ti.”


Nestas últimas semanas tenho repetido essa singela oração. E pedido para o amor de Aba penetrar no meu coração e me curar. Creio ser um processo espiritual, mas também podemos contar com o apoio de amigos, psicólogos, enfim, ferramentas que Deus colocou ao nosso dispor.


Mas uma coisa eu sei e já declaro pra você. Não sou perfeito. Não sou super espiritual. Não vivo totalmente o que prego. Na maioria das vezes, estou pregando para mim mesmo. Mas tenho um coração que busca chegar lá. Pela mesma graça, não vou desistir. Cheguei até aqui, e prossigo rumo ao alvo, confiado não em mim, mas na Graça que me fortalece e não desiste de mim, rumo ao prêmio da soberana vocação. Tudo que espero ouvir um dia é “Muito bem, servo bom e fiel. Vinde, entrai no gozo do seu Senhor.”


Essas palavras de Paulo são a minha oração:


“Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte para, de alguma forma, alcançar a ressurreição dentre os mortos.

Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3:10-14


Prossigamos sempre.

Oro para que isso possa te abençoar de alguma forma.

Com afeto,


Renato

Posts Em Destaque
Posts Recentes